Metodologia de campo criada em parceria com o PTI será replicada em outros Estados

Um total de 226 propriedades de oito microbacias da Bacia Hidrográfica do Paraná 3 (BP3), já adota o Índice de Qualidade Participativo (IQP), um indicador que avalia a eficiência do Sistema do Plantio Direto. E esse número deve crescer ainda mais.

 

A metodologia desenvolvida pela usina, Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e Federação Brasileira de Plantio Direto na Palha inicialmente para a área de influência do Lago de Itaipu, deverá ser expandida para os 54 municípios do Oeste do Paraná e também para outros Estados, como Rio Grande do Sul, São Paulo e Goiás.

 

O trabalho será feito dentro das ações que as duas instituições vêm trabalhando para o desenvolvimento da região, uma das premissas básicas da missão do PTI.

 

O Índice de Qualidade Participativo foi criado em 2009. No ano passado, cinco cooperativas da região, com 42 mil produtores associados, assinaram um protocolo de intenções para usar o método. A iniciativa comprova o que vem defendendo o diretor superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado.

 

Desde quando ele assumiu o cargo, ele se comprometeu a reforçar as ações de desenvolvimento da região e de aproximação com a comunidade. O trabalho tem conexão direta com a Itaipu, a empresa mantenedora do parque.

 

Investimentos

 

Só em julho, por exemplo, a Itaipu Binacional assinou 56 novos convênios com os 54 municípios da região Oeste, que envolvem ações nas mais diversas áreas, como infraestrutura, educação e conservação de solos. A contrapartida da binacional é de R$ 134 milhões.

 

 

Seguindo a mesma linha de sua instituição mantenedora, o PTI vem, desde o ano passado, ampliando sua atuação no território. O desenvolvimento sustentável da região faz parte da missão do PTI.

 

Entre o início de 2017 e agora, mais de 50 convênios – entre projetos, fomento e termos de cooperação e de patrocínio - foram assinados pelo PTI em benefício da região. As parcerias envolvem iniciativas que vão desde investimentos em educação, passando pelo desenvolvimento de tecnologia e saneamento básico até fortalecimento da gestão pública.

 

Saneamento básico

 

O apoio aos municípios na revisão dos Planos de Saneamentos Básico é outro trabalho que o PTI e a Itaipu vêm desenvolvendo no Oeste paranaense. Esses planos são requisitos para que os municípios recebam recursos do Governo Federal destinados para esse fim.

 

Dos 54 municípios da região, 14 estão sendo atendidos pelo projeto de Saneamento Ambiental do PTI e da Itaipu, beneficiando cerca de 400 mil habitantes.

Para Jorge Callado, esses investimentos mostram a responsabilidade e a preocupação do PTI em atuar de forma preventiva para garantir a melhoria da qualidade de vida e de saúde da população da área de influência.

 

Educação

 

O PTI e a Itaipu também desenvolvem e oferecem projetos importantes de educação para toda a região. No PTI, desde 2011, são realizados cursos de especialização, como mestrados e doutorados, que trazem para o território profissionais capacitados e conhecimento. O Programa de Educação Financeira, desenvolvido pelo PTI e a Itaipu, promove palestras em vários municípios do Oeste. O projeto conscientiza a comunidade, empresários, universidades e outros interessados sobre a importância de manter o equilíbrio das contas mensais e estabelecer uma relação sadia com o dinheiro.

 

No PTI são realizados cursos de graduação e pós-graduação. 

 

Além desse trabalho, a Itaipu e o PTI se uniram em um novo convênio neste ano para promover ações de aprendizagem nas áreas de educação ambiental, ciências e sustentabilidade nos 54 municípios do Oeste paranaense. O projeto deverá ter duração de um ano e vai envolver formação de professores, atendimentos pedagógicos e transporte do conhecimento às comunidades, por meio de um veículo itinerante.

 

O diretor superintendente do PTI comparou o conhecimento à concha que protege os caramujos. “Nós, seres humanos, não temos uma concha para nos proteger, mas temos o conhecimento, a educação e a formação, que fazem com que consigamos enfrentar as adversidades e evoluir”.

 

Gestão Pública

 

A Itaipu e o PTI atuam ainda com o fortalecimento da gestão pública das prefeituras do Oeste do Paraná e com o apoio a projetos voltados ao desenvolvimento territorial. Em relação à fiscalização, as instituições atenderam uma demanda do Ministério Público do Paraná e estão desenvolvendo um modelo de portal de transparência para os municípios. Esse portal trará informações de forma fácil, clara e objetiva a custo zero para as prefeituras e câmaras municipais e, inicialmente, será implantado em 17 municípios.