Laboratório de Turismo Sustentável do PTI vai otimizar integração do Destino Iguaçu

Práticas sustentáveis não são novidade em Itaipu. A hidrelétrica já atua dentro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), como energia limpa, produção e consumo responsáveis, e equidade de gênero – categoria em que Itaipu já foi premiada pela própria entidade. 

 

Porém, o trabalho ainda é longo, visto que um dos objetivos é ajudar Foz do Iguaçu a se tornar cada vez mais sustentável. Ou seja: tornar a cidade e seus habitantes cada vez mais responsáveis com o meio ambiente, além de praticar ações que tornem o município autossuficiente e sem desperdícios. Para isso, o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) vai desenvolver um laboratório visando tornar isso uma realidade.

 


Conceito do laboratório foi lançado oficialmente em outubro. Foto: Kiko Sierich. 

 

“Primeiramente, vamos trabalhar na formação de pessoas, por meio de palestras abertas e até um processo de candidaturas. Serão agentes de formação para começarmos a expandir a questão de sustentabilidade na região”, explica Fabiano Pavoni Nogueira, quem irá coordenar o Laboratório de Turismo Sustentável do PTI.

O novo centro de pesquisa será focado na capacitação de pessoas para, futuramente, ser um laboratório de projetos capazes de operar e solucionar problemas locais. “Vamos testar, ver o que dá certo ou não. A ideia é por a mão na massa e trabalhar com conhecimento aplicado”, afirma o gestor. 

 

Um dos objetivos, a médio e longo prazo, é otimizar a integração do Destino Iguaçu. Pavoni aponta que já foi um progresso considerável a região trinacional se enxergar com essa identidade, mas ainda é necessário algumas mudanças para Foz do Iguaçu, Ciudad del Este e Puerto Iguazú atingirem o patamar de destino global.  E é isso que o laboratório poderá otimizar.

 

 

“Nós temos excelentes iniciativas nos três países, mas essas ações podem se potencializar. O que temos de grande força é o patrimônio natural. Mas isso não pode por o patrimônio cultural como coadjuvante. Então, como um destino de compras, que é o Paraguai, valoriza Cataratas do Iguaçu? E como Cataratas valoriza Paraguai? São públicos diferentes… Mas é possível. Se trabalharmos para otimizar essa integração, teremos algo realmente único.”

 

O Laboratório de Turismo sustentável será instalado no Parque Tecnológico Itaipu em 2018 e tem previsão de começar os trabalhos em fevereiro. “Vamos mexer com tudo, mas blocos por blocos. Trazer especialistas, pesquisadores, ver as pessoas que poderiam ser atores nesse movimento”, complementa Pavoni.


Leia mais:
 

Passaporte 3 Maravilhas já está à venda em Itaipu, Cataratas e Marco das Três Fronteiras

CTI convida turistas a se emoldurarem em frente ao vertedouro da Itaipu