Iniciativa prepara jovens e abre oportunidades para mudança de vida

Trabalhar a educação de uma forma diferenciada, empoderando jovens e adolescentes, mostrando que eles são capazes de se inserir no mercado de trabalho e conquistar bons empregos, é um dos objetivos do projeto Trilha Jovem, que em 2018 deve formar mais de 1300 alunos desde a primeira edição. 

 

Cerca de 180 jovens participaram da aula inaugural edição 2018. A atividade foi realizada no final do mês de abril, no auditório da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus Jardim Universitário, com a participação de familiares dos jovens e adolescentes selecionados. O projeto do Polo Iguassu recebe total apoio do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), e vem trabalhando a educação por meio de ações que capacitam e abrem oportunidades de trabalho para quem participa.

 

“O projeto Trilha Jovem já formou centenas de jovens nesses anos todos e entendemos que é por meio da educação que iremos alcançar o desenvolvimento territorial também, e, por isso, que somos parceiros do Trilha e do Polo Iguassu desde a criação do projeto. Temos, hoje, bons exemplos de pessoas que são fruto do Trilha e que estão trabalhando conosco aqui do Parque. Então, entendemos a importância que tem para Foz do Iguaçu e região ”, argumenta Jéssica Lima, gestora do Programa de Educação e Cultura do PTI.

 

 

O projeto

 

Este ano o projeto inicia a décima edição, com a ampliação de 120 vagas para 180, atendendo adolescentes e jovens na faixa etária de 16 a 24 anos em uma preparação de formação profissional e de reforço da autoestima dos participantes para a entrada no mercado de trabalho. A prioridade é voltada para atender jovens que estejam em alguma situação de vulnerabilidade social e que possam ser inseridos no mercado de trabalho e sociedade. 

 

Para esta edição, o Trilha Jovem será realizado em cinco meses de formação, com previsão de um grande encontro no final do ano, com a presença de ex-integrantes do projeto em um momento de integração e confraternização. 

 

Patrícia Menezes Dutra, representante do Polo Iguassu, ressalta que a iniciativa é uma referência para o Instituto e para Foz do Iguaçu e destaca a importância do PTI como instituição apoiadora. 

“Este é um projeto que realizamos com muito orgulho. Avaliamos com muita alegria a conquista de aumentar as turmas com o passar do tempo. Até o ano passado, eram 120 jovens em formação e este ano ampliou-se o número de beneficiários para 180, com uma nova área de atuação além do turismo, que é comércio, e também a programação de computadores. Tudo isso, em parceria com o PTI”.

 

Segundo Patrícia, a intenção é encaminhar, já no segundo semestre, boa parte dos participantes para vagas de trabalho na cidade. “Em outubro essa galerinha estará sendo direcionada ao mercado de trabalho na busca de uma profissionalização e de grandes oportunidades para o desenvolvimento pessoal e profissional. Nosso papel é trabalhar o protagonismo juvenil”, argumenta. 

 

Formação

 

A formação do projeto traz conteúdos técnicos de áreas específicas como turismo e atendimento, hospedagem, comércio, a programação de computadores, e traz também o desenvolvimento pessoal do jovem. 

 

“Não é só o técnico profissional, o Trilha Jovem também trabalha o empoderamento na transversalidade. São trabalhadas oficinas de linguagem, de expressão, o relacionamento do jovem com os demais, com o ambiente, e em grupos. Tudo isso visando o melhor para cada um”, ressalta Patrícia.

 

 

O Trilha Jovem prevê um atendimento de quatro horas por dia, sendo 400 horas presenciais e 100 horas de atividades autônomas. Segundo os gestores, o projeto tenta alavancar o desenvolvimento do jovem e tornar as oportunidades mais acessíveis. “Na hora em que ele for pra uma empresa não estará um profissional pronto, mas sairá do programa com atitudes diferenciadas, com mais competências, para aproveitar as oportunidades oferecidas”, comenta a gestora.

 

Maria de Fátima Duarte, mãe de um dos jovens beneficiados, está contente pela participação do filho na iniciativa. “Eu já esperava há dois anos essa oportunidade, estou muito feliz e sei que no Trilha Jovem ele terá cursos e a chance de estudar, de aprender e crescer, terá a chance de conquistar aquilo que eu não consigo oferecer para ele”, revela. 

 

Thiago Duarte da Silva, de 16 anos, comenta: “minha mãe me inscreveu várias vezes e agora consegui. Estou bastante animado para participar, porque sei que aqui irei melhorar como pessoa. Espero conseguir um bom emprego no final do ano e poder ajudar minha mãe”.

 

Outro jovem selecionado é Thomas Pei Hon Yang, de 17 anos, que já escolheu a área que pretende atuar. “Vou aproveitar ao máximo essa chance no Trilha Jovem e tentar um bom emprego na área de hotelaria depois, já que nossa cidade tem grande capacidade nesse setor. Esta é uma oportunidade única para milhares de jovens como eu. Me sinto muito privilegiado”.