Equipe do PTI assume desafio do desenvolvimento de nova bateria de sódio

O projeto de pesquisa de uma nova versão da bateria de sódio, uma iniciativa da Itaipu Binacional que envolve execução conjunta com especialistas do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), foi iniciado neste ano. A equipe técnica das duas instituições desenvolve pesquisas em baterias desde 2012 e, com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), obteve conhecimento e experiência com a tecnologia, que permitiu o desenvolvimento da primeira versão de bateria de sódio.

 

Atualmente uma nova versão da bateria, com células achatadas, está sendo desenvolvida. A expectativa é chegar a um produto de alta tecnologia com preço competitivo no mercado. O projeto tem previsão de finalização em dezembro de 2019.

 

 

As baterias de níquel-sódio, também conhecidas como NaMCl2, são compostas por metais de transição (M = níquel, ferro, cobalto, entre outros) e cloreto de sódio (NaCl). Além de possuírem alta densidade energética e serem seguras, essas baterias são sustentáveis, uma vez que utilizam materiais abundantes, não tóxicos, recicláveis e de baixo custo. 

 

As baterias de níquel-sódio com o novo formato de célula podem ser utilizadas em vasta gama de aplicações. Essas tecnologias podem ser utilizadas em sistemas estacionários em conjunto com sistemas geradores de energia elétrica, tais como eólicos e fotovoltaicos, para o armazenamento de energia. Também têm aplicação em sistemas de telecomunicações (backup para o fornecimento de energia) e sistemas isolados.

 


No primeiro projeto, que teve apoio da Finep, foi desenvolvida a primeira versão da bateria níquel-sódio. 

 

A nova geração de baterias de níquel-sódio atende também a mobilidade, podendo ser usada em veículos elétricos de passeio, veículos off-road, caminhões elétricos, sistema de carga rápida de veículo, ônibus de pequeno e médio porte, entre outros. 
 

Leia mais:

 

Conheça as aplicações e vantagens da bateria de sódio