Energias Renováveis: PTI amplia ações para 54 municípios da região

O Parque Tecnológico Itaipu (PTI), por meio do Centro Internacional de Hidroinformática (CIH), está ampliando o campo de atuação de seus estudos na área das energias renováveis. A exemplo do que foi adotado, recentemente, pela Itaipu Binacional, as ações, que antes eram restritas aos 29 municípios da Bacia Hidrográfica do Paraná 3, passam a compreender as 54 cidades da região de influência da binacional: 52 pertencentes à Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), além de Altônia (Noroeste do Paraná) e Mundo Novo (Mato Grosso do Sul).

 

O primeiro trabalho dentro dessa nova linha será o levantamento do potencial eólico da região. O estudo sobre a “energia dos ventos”, previsto para ser lançado em breve, já indica que municípios como Nova Laranjeiras, São Pedro do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Guaraniaçu e Toledo, além da própria região do reservatório de Itaipu, apresentam ventos com velocidade entre 4,3 e 5 metros por segundo (m/s) a uma altura de 15 metros. Estes números são consideráveis favoráveis à microgeração utilizando turbinas eólicas para a geração de energia elétrica. Se consideramos outra altura (20 metros), destaque para Ramilândia, Ouro Verde do Oeste e Nova Laranjeiras, com velocidades superiores a 5 metros por segundo.

 

 

Além deste trabalho, outros estudos já publicados serão ampliados para o restante do Oeste do Paraná, abordando temas como, por exemplo, modelagens sobre o potencial hídrico da região, referente a possíveis pontos para geração de energia elétrica via PCH (Pequena Central Hidrelétrica) ou CGH (Central Geradora Hidrelétrica).

Mais do que os 54 municípios, o Atlas Solar do Paraná – que contou com a participação do CIH - contemplou todos os 399 municípios do Estado. Com base no estudo – desenvolvido por meio de uma parceria do PTI com a Itaipu Binacional, Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) – qualquer cidadão pode consultar, gratuitamente, o potencial de sua localidade no site www.atlassolarparana.com.

 

De acordo com a gerente do CIH, Nara Nami, esta ampla atuação deve fortalecer ainda mais a relação do PTI com a região, evidenciando o potencial do território. "Estas iniciativas nos ajudam a conhecer melhor o território, percebendo suas oportunidades e gargalos. Neste contexto, a junção de diversas áreas do conhecimento, como meio ambiente, economia, logística, entre outros, permite uma análise mais aprofundada otimizando os investimentos na região e reduzindo os riscos para estes investimentos. Isso é essencial para o cumprimento de um dos pilares importantes da própria missão do Parque, que é desenvolver o território de maneira sustentável”.

 

 

O Centro Internacional de Hidroinformática (CIH) contribui para a gestão estratégica do território, lidando com dados e informações voltados à gestão dos recursos ambientais e desenvolvendo soluções tecnológicas que servem de apoio à tomada de decisão. Para isso, emprega diversas ferramentas da área de geotecnologias integradas para o mapeamento e construção de bases e dados espaciais.

 

As informações e metodologias desenvolvidas são aplicadas em estudos que visam a organização do território para o desenvolvimento sustentável. Assim, o Centro atua em projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, integrando vários processos tecnológicos como: desenvolvimento de produtos técnicos; arranjos produtivos de energias renováveis; implantação de Infraestruturas de Dados Espaciais (IDE) e monitoramento ambiental.

 

O CIH também possui um sistema de capacitações para profissionais de diversas instituições interessados em atuar dentro destas temáticas. Leia e ouça a matéria na íntegra na Web Rádio Água, o portal do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) sobre Água, Energia e Sustentabilidade!