Diagnóstico Rápido da Estrutura do Solo pode ajudar na melhoria do Sistema Plantio Direto

A Rede de Pesquisa SoloVivo desenvolveu um método inovador de avaliação visual da estrutura superficial dos solos tropicais e subtropicais, denominado Diagnóstico Rápido da Estrutura do Solo (DRES). Com resultados obtidos diretamente no campo e sem a necessidade de avaliações laboratoriais, o DRES permitirá, de forma muito mais rápida, a tomada de decisão sobre práticas de manejo para melhorar a qualidade dos solos. Além disso, poderá ser utilizada como método para a avaliação do Sistema Plantio Direto (SPD) em propriedades rurais e microbacias hidrográficas.

 


O DRES tornou-se uma ferramenta de extrema importância para a otimização e adequação do Sistema Plantio Direto (SPD) às características nacionais. Foto: Embrapa Solos

 

O DRES qualifica a estrutura da camada superficial do solo baseado nas condições gerais da gleba avaliada, relativas à conservação ou degradação do solo e em características detectadas visualmente em amostras dos primeiros 25 cm do solo. São observados: tamanho e forma dos agregados e torrões, presença ou não de feições de compactação ou outra modalidade de degradação do solo, forma e orientação das fissuras, rugosidade das faces de ruptura, resistência à ruptura, distribuição e aspecto do sistema radicular e de evidências de atividade biológica. A partir desses critérios, atribui-se uma pontuação de um a seis, em que a maior nota significa a melhor condição da estrutura.

 

 

De acordo com o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e líder da Rede, Luiz Carlos Hernani, o DRES tornou-se uma ferramenta de extrema importância para a otimização e adequação do Sistema Plantio Direto (SPD) às características nacionais.

 

“No clima tropical brasileiro a palha se decompõe mais rápido. Essa situação gera alguns problemas e não apresenta os resultados esperados. O DRES irá avaliar, adequadamente, o nível de degradação da estrutura e sugerir ações para o manejo correto do solo para evitar a compactação, erosão e perdas”, explicou.

 

 

A Rede de Pesquisa SoloVivo é resultado da parceria entre a Embrapa, Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Federação Brasileira de Plantio Direto na Palha (FEBRADPD), além de diversas instituições de ensino e pesquisa, associações, fundações, institutos, cooperativas, prefeituras e produtores rurais.

 

A matéria completa está disponível no endereço webradioagua.org.br .