Congresso de gestão do conhecimento e inovação integra pesquisadores de 14 países no PTI

Promovendo um espaço para discussão das demandas, oportunidades e necessidades da gestão do conhecimento, a 7ª edição do Congresso Internacional de Conhecimento e Inovação – CiKi 2017 reuniu pesquisadores de 14 países na apresentação de novas tendências e estudos na área.


O CiKi, que aconteceu entre os dias 11 e 12 de setembro, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu, é um dos principais eventos internacionais que busca promover o desenvolvimento conceitual, metodológico e estimular a prática de gestão do conhecimento, de capital intelectual e de gestão da inovação.


Inovação social; desenvolvimento sustentável, ecossistemas de inovação; cidades mais humanas e inteligentes; inovação e economia digital, integração entre indústria e academia, pesquisas em inovação; mensuração de inovação; foram alguns dos assuntos debatidos no evento. As palestras foram conduzidas por especialistas do Brasil, Argentina, Portugal, Itália, Uruguai, Estados Unidos, Chile, Colômbia e México.


“Conhecimento e Inovação: energia para o desenvolvimento” foi o tema central do CiKi 2017. O congresso contou com a apresentação de cerca de 160 trabalhos científicos (de um total de 280 inscritos), de pesquisadores brasileiros e estrangeiros. Durante o evento, cinco sessões de Networking Temático possibilitaram a troca de conhecimentos e incentivaram a integração entre os pesquisadores, para futuros trabalhos conjuntos.



 

“Podemos analisar o capital intelectual a partir de três dimensões: o capital humano, o capital estrutural e o capital relacional. As palestras do CiKi abordaram importantes conceitos e trabalhos em todas essas dimensões”, destaca o coordenador geral do CiKi, professor doutor Paulo Selig. “O Congresso atendeu seus dois grandes objetivos, que é formar uma rede de conhecimento e troca de informações – especialmente entre pesquisadores das três Américas, território que possui características próprias - e ser um elemento de mudança cultural”, avalia.

 

Na abertura do evento, o diretor superintendente do PTI, Ramiro Wahrhaftig falou sobre a importância da criação de condições para que o desenvolvimento aconteça e destacou os benefícios no compartilhamento de recursos humanos para pesquisas básicas e aplicadas. “Juntos, academia, governo e iniciativa privada, têm a possibilidade de mudar as condições de desenvolvimento da região e do país, mas precisamos estar alinhados”, disse. “O Parque está criando uma rede para discussão de inovação em áreas de interesse, que promovam o desenvolvimento regional, que são três: energias renováveis, tecnologias sustentáveis ligadas a água e agricultura sustentável - vocação desta região. Nisso podemos envolver os melhores pesquisadores, desde que saibamos quem são e que possibilitemos uma estrutura para que trabalhem juntos”, pontuou.


Wahrhaftig lembrou que a Itaipu Binacional foi criada com a missão de gerar energia, mas que tem também preocupação em promover sustentabilidade e o desenvolvimento territorial. “O PTI foi criado para ser uma estrutura de apoio ao desenvolvimento socioeconômico e ambiental. Estamos em uma região trinacional e precisamos pensar no crescimento de toda essa ‘metrópole das três nações’. Esta região vai se desenvolver muito nas próximas décadas, pois temos todas as condições para isso”, considerou.


O congresso é uma iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e neste ano contou com o apoio do PTI, Itaipu Binacional, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Universidade Nacional de Missiones, Parque Tecnológico e Científico da PUC-RS, Centro Universitário Unicesumar, Associação para a Acreditação da Gestão do Capital Intelectual (ICAA) e Organização Universitária Interamericana (OUI). No próximo ano, o CiKi acontece na cidade de Guadalajara, no México; e em 2019 possivelmente será em Punta Del Este, no Uruguai.