Boletim sobre Educação no Paraná é referência no planejamento público e privado

Apresentar uma visão ampla do panorama da educação na região Oeste do Paraná, com dados atualizados sobre o número de professores, de estabelecimentos de ensino, e a especificação dessas informações por município, é o principal objetivo do Observatório Territorial, um projeto do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), com a elaboração do Boletim de Conjuntura Econômica Regional do Oeste do Paraná, no tema Educação. 

 

O material surgiu de uma demanda do programa Oeste em Desenvolvimento - ação de governança regional que busca promover o desenvolvimento econômico e é formado por várias instituições, entra elas o PTI e a Itaipu Binacional -, de oferecer uma ferramenta de instrução e de referência de dados para a área de educação em toda a região. O Observatório Territorial formou equipes especializadas que realizaram um levantamento preciso da situação educacional dos 54 municípios, apontando o número de professores e de unidades educacionais. 

 

Para esta edição do Boletim de Conjuntura, o Observatório contou com a parceria do Núcleo Regional e do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Regional da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus de Toledo. O professor Jandir Ferreira Lima, coordenador do Núcleo de Desenvolvimento Regional (NDR) da Unioeste, acompanhou o processo de elaboração. Para ele, um trabalho como esse tem fundamental importância para mudar a realidade de municípios e auxiliar na confecção de dissertações acadêmicas.

 

“Percebemos que havia uma grande carência de informações sobre economia, conjunturas políticas, sociais e de educação em toda a região Oeste. Muitas vezes as empresas, as prefeituras e as universidades não têm referências para buscar determinados dados, dificultando até mesmo para os gestores públicos que precisam se atualizar sobre o panorama socioeconômico de suas regiões”, explica o professor. Foi por isso, conforme Jandir, que o Núcleo assumiu o compromisso de auxiliar e participar do processo de construção de materiais informativos com o PTI, com o objetivo de fornecer à sociedade um conteúdo confiável e que atenderá essa lacuna. 

 

Segundo o professor, o Boletim sobre Educação já se tornou referência para trabalhos da graduação de Economia da Unioeste de Toledo, e vem para facilitar a pesquisa e o desenvolvimento de teses para mestrados e até doutorados. “Com o Boletim podemos gerar análise, enriquecendo de forma bibliográfica a realidade da região Oeste, podendo ser utilizado também por jornalistas, estudantes, professores e administradores públicos na tomada de decisões”, destaca. Ele ressalta que esses boletins também têm sido usados como fonte de pesquisa para estudos específicos sobre os municípios do Oeste, na confecção de informativos de histórico e perfil municipal.

 

Apuração detalhada 

 

Os dados para a elaboração do material foram coletados com bases no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Ministério da Educação (MEC), e da base de dados GeoCAPES da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior  - CAPES. O período escolhido para a coleta e análise foram os anos de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016, em função da disponibilidade a nível municipal e da padronização destas informações. 

O  economista Flávio de Matos Rocha, que é coordenador editorial do Boletim, espera que o documento auxilie na análise e no planejamento das instituições públicas e privadas que trabalham no setor, que estimule a pesquisa científica e que “a sociedade possa ter um panorama sobre os dados dessa área”. E acrescenta: “Nós apuramos detalhadamente, com todas as modalidades de ensino e educação, exceto educação a distância, e disponibilizamos todos os dados de educação do Oeste em um único local”. 

 

De acordo com Flávio, no material estão detalhados, por exemplo, que tipo de ensino há em cada local, quantos professores existem em cada município, e se tem ensino superior ou não. “Ou seja, um cenário completo, para contribuir com qualquer forma de pesquisa ou levantamento”. Ele diz ainda que em breve será lançado outro material sobre os cursos de ensino superior e as linhas de pesquisa da região, que trará o número de mestres e doutores formados no Oeste. “É um material rico para todo público ter acesso, que contribua, acrescente e sirva, sobretudo, como orientação”, define o economista. 

 

Os Boletins da Conjuntura de Educação do Oeste do Paraná foram enviados aos municípios da região, aos três Núcleos Regionais de Educação - Toledo, Foz do Iguaçu e Cascavel -, e para universidades.  A coordenadora da equipe de educação básica do Núcleo de Foz, Nádia Sales, defende a importância e relevância de um material como este. 

 

“Recebemos os exemplares e agora iremos discutir com as equipes pedagógicas de que forma podemos levar as informações para a sala de aula, ou como podemos utilizar estes dados para melhorar nossas ações e a tomada de decisões. É um material completo, bem informativo, que apresenta a realidade educacional de cada município; o que, para nós, enquanto Núcleo, pode auxiliar em planejamentos estratégicos. Considero bem significativa a produção do Boletim”, argumenta Nádia.