“Se você toma água, o Fórum é pra você”, destaca Irani Braga

Foi o que declarou o secretário executivo do Ministério da Integração Nacional, Irani Braga, durante o pré-evento. De acordo com Irani Braga, a intenção é que o Fórum Mundial da Água seja também uma oportunidade de debate acerca de questões importantes sobre os recursos hídricos no Brasil. “A nossa intenção é que ele seja um fórum mundial no Brasil, mas também que ele traga discussões sobre as questões importantes relacionadas à água, desde o gerenciamento dos recursos hídricos, a governança, a sustentabilidade no longo prazo...”

 

O Fórum terá ainda um espaço gratuito, chamado Vila Cidadã, onde a sociedade civil poderá participar de debates, visitar exposições e estandes com soluções e tecnologias socioambientais voltadas para melhorar o uso da água.

 

A edição brasileira terá como tema “Compartilhando Água”. Segundo o representante do Secretariado para Implementações do Fórum, Glauco Kimura, a ideia surgiu a partir das características geográficas brasileiras – como as bacias hidrográficas compartilhadas com outros países – e, a partir dessa premissa, compartilhar soluções, boas práticas e conhecimentos sobre a água. “Esse tema foi cuidadosamente selecionado pela organização brasileira. Não só pelo fato que o Brasil tem como vocação compartilhar água com os países vizinhos – seja recebendo água dos países vizinhos, seja exportando água – nós temos essa responsabilidade de compartilhar água em qualidade e quantidade”, disse.

O Fórum Mundial da Água acontece a cada três anos e é uma iniciativa do Conselho Mundial da Água, uma organização internacional com sede em Marselha, França, composta por representantes de governos, academia, sociedade civil, empresas e organizações não governamentais, formando um significativo espectro de instituições relacionadas com o tema água.

 

De acordo com Monica Queiroz, responsável pela curadoria do Rumo a Brasília, os resultados do evento em Foz foram positivos. “Conseguimos perceber, desde a comunidade participante enquanto jovem até o poder público, as empresas, as ONGS, os grupos diversos da sociedade civil. Todos juntos em prol de um tema só que é a Água. Então estamos saindo muito felizes e satisfeitos”.

 

Antes de Foz, já havia sediado a ação Belém (PA), São Paulo (SP), Tijuana (México), Bogotá (Colômbia) e Santiago (Chile). Em fevereiro, a última parada está marcada para Salvador (BA). Depois disso, as preposições coletadas serão levadas para o Fórum Cidadão, um dos eventos paralelos do Fórum Mundial da Água. Ouça e leia a matéria na íntegra na Web Rádio Água.